Quem disse que Papai Noel não existe?

Quando eu era pequena uma das minhas datas preferidas era o Natal. Lembro-me de esperar ansiosa por essa data. O responsável por isso? Meu avô, que não está mais aqui fisicamente para comemorar o Natal com nossa família, mas está sempre presente em meu coração, numa lembrança, num sorriso ou nessa lágrima que cai enquanto escrevo sobre ele. Todo ano ele colocava a fantasia e encenava o bom velhinho. Eu, meu irmão e meus primos esperávamos ansiosamente ele bater na porta e adentrar aquela sala, que se cobria de magia por alguns minutos. Engana-se quem pensa que a mágica eram os presentes, por incrível que pareça não me lembro de nenhum deles – mas eu me lembro do olhar!

Com o passar dos anos, fui crescendo e reconhecia aquele olhar por detrás da barba, mas engana-se também quem pense que a magia por aí terminou! Na verdade, ela só aumentou. Mesmo sabendo que era meu avó quem chegaria tocando o sino, ainda assim meu coração disparava e o encanto se fazia presente. Quantas mães, pais, avós, tios e amigos trazem essa magia ao Natal das crianças? Quantos não deixam o presente na árvore na noite de Natal? Bom, é por isso que mesmo já passando dos trinta anos.. Sim, eu ainda acredito em Papai Noel!

Copy of Copy of Copy of Alguém Pode SER FELIZSem Ser LIVRE_ (1)