CHEGA DE SILÊNCIO – Assédio Não é Romance, é Abuso

Vivemos hoje numa cultura onde mulheres sofrem diversos tipos de violência, pelo simples fato de ter nascido mulheres! Mas ainda hoje muitas pessoas acreditam que o Abuso Sexual se configura somente quando estamos falando em casos de Estupro! Amiga, Amigo, se você pensa assim tenho uma notícia para você: Para, que está errado! Muitas são as violências que as mulheres sofrem no dia-a-dia, ou melhor Todo Dia! E muitas vezes nós mulheres nos calamos, afinal você ser assediada na rua não é assunto plausível num encontro com as amigas ou numa reunião familiar. O Assédio está tão entranhado em nossa sociedade que virou algo corriqueiro. Isso faz parte da rotina de todas as mulheres. Aconteceu comigo, com minhas amigas, com a minha mãe, minha avó, e infelizmente acontecerá com minha filha. E não: não estou falando que todas elas foram estupradas, ok? Porque o Assédio pode acontecer de várias formas. Então vamos à alguns exemplos:

Pode acontecer quando você tem 12 anos e participa de um programa de gastronomia e seu nome é vinculado nas redes sociais como símbolo de desejo sexual. Acontece também quando você tem 6 anos e seu tio assiste à vídeos pornográficos na sua presença e acaricia seu corpo. Também pode acontecer quando você tem 10 e ao brincar de saia com suas amigas em frente à sua casa um sujeito para o carro e se masturba ao olhar a brincadeira. Acontece quando você tem 14 anos e o pai da sua amiga acha interessante te cumprimentar com um beijo que do rosto sem querer desce para o pescoço. Também acontece quando você tem 15 anos e um rapaz para o carro ao vê-la atravessar a rua e te chama de gostosa depois de dizer o que poderia fazer com você no quarto dele. Com 16 anos também pode acontecer quando o professor passa a mão em suas pernas, e ao contar para alguém você escuta que é por isso que não se deve ir à escola com um shorts tão curto. Aos 18 anos continua acontecendo, quando ao ir trabalhar um sujeito te aperta no trem contra a porta enquanto suas mãos deslizam por suas nádegas. Aos 22 talvez aconteça também quando você posta uma foto nas redes sociais e um ‘amigo” comenta que te pegaria facilmente. Aos 30 ainda continua acontecendo quando seu chefe acredita que a promoção será consequência de um relacionamento sexual. Pode acontecer aos 40 também quando você escuta comentários de um vizinho sobre como sua filha está ficando gostosa como a mãe. Na terceira idade também, quando o homem com quem saiu na noite passada faz questão de dizer aos amigos como foi bacana sair com a tiazinha gostosa. E pasmem: pode ocorrer até em seu último suspiro com um comentário do tipo: “que pena, ainda dava para o gasto”.

E sim: acontece também quando você é Psicóloga e possui uma página para discutir questões da Psicologia e precisa com frequência se deparar e lidar com comentários de assédio!

assedio1assedio2assedio3assedio4

Um dos motivos para que isso continue acontecendo é que o moço que passou a mão pelo seu corpo, que te chamou de gostosa, que violentou sua filha ou que usa as redes sociais para te assediar como passa-tempo, esse moço tem a crença de que você continuaria calada, porque ele acredita que é um privilégio você ser uma mulher desejada, e ele acredita que você deveria agradecer por isso: “Obrigada por me achar gostosa, obrigada por dar significado às minhas pernas no shortinho curto, afinal minhas pernas não servem para me locomover e minhas roupas não são escolhas minhas, elas servem para servir o seu desejo!
Então: CHEGA DE SILÊNCIO MOÇA! Porque nenhum silêncio vai te proteger! E Juntas, Somos Mais Fortes!

!!!!..‪#‎Compartilhe‬ o Texto Com Suas Amigas..!!!!

🙂 

Léia Faustino

Psicóloga

CENTRAL DE ATENDIMENTO À MULHER – Ligue 180
.
DISQUE 100 – Outro canal para realizar denúncias de casos de abuso ou violência sexual é o Disque 100, serviço coordenado pelo Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.
.
SAFERNET (http://new.safernet.org.br/) – Mantido pela equipe da Safernet, o site recolhe denúncias anônimas relacionadas a crimes de pornografia infantil, racismo, apologia e incitação a crimes contra a vida, entre outros.
.
DIGI DENÚNCIAS (http://cidadao.mpf.mp.br/) – Canal para denúncias de crimes eletrônicos do Ministério Público.

POLÍCIA PAULISTA – (webpol@policia-civ.sp.gov.br) – Polícia paulista especializada em crimes digitais.
.
POLÍCIA FEDERAL – (rime.internet@dpf.gov.br) – Mensagens que se refiram aos crimes de internet devem ser reportadas ao novo canal centralizador dessas denúncias na Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal

Anúncios