Filho(a), Ainda Somos Uma Família

A separação de um casal é sempre um momento onde o stress é evidenciado na família. É um processo doloroso, tanto para o casal como para os filhos. Sentimentos de perda e frustração podem estar presentes nos filhos ao verem o casamento dos pais ter um desfecho. Uma dose de sofrimento e angústia é comum nesse momento para todos os envolvidos, mas quando um filho demonstra um sofrimento maior ou apresenta comportamentos significantes, os pais precisam olhar para a situação com mais cuidado. Crianças podem apresentar choro constante, agressividade, não tolerância à frustração, medo do abandono ou perda do amor da mãe ou do pai. Cada fase do desenvolvimento pode apresentar sinais diferentes. Um adolescente pode apresentar comportamento rebelde, alto grau de stress e irritabilidade, não obediência às regras, depressão, etc.

O que desestabiliza emocionalmente os filhos não é a separação em si. Mas sim como ela foi vivida dentro do convívio familiar. A reação emocional das crianças ou adolescentes dependerá em grande parte em como os pais vivenciaram essa separação, em como os pais envolveram os filhos ou não em seus conflitos, em como os pais comportaram-se após essa separação.

Vamos à alguns exemplos e reflexões?

  • Quanto esse filho sabe das motivações da separação?
  • Quanto ele esteve envolvido nas brigas ou conflitos do casal?
  • Em que medida presenciava os conflitos dos pais?
  • Como essa separação foi comunicada?
  • Como está o humor dos pais após a separação?
  • Qual a qualidade da atenção dada à esse filho após essa separação?

A separação de um casal exige uma mudança na rotina e uma grande reorganização no funcionamento das famílias, os envolvidos precisam constituir uma nova definição da vida familiar. Essa não é uma tarefa fácil, e pode levar algum tempo para que a família consiga se reorganizar novamente. Porém, os pais precisam encontrar um meio de passar por esse momento de transição de uma forma que seja saudável aos filhos. Cada família é única, e se constitui de forma singular, cada história falará por si, cada pessoa sente de um jeito único e só seu, e com isso, podemos concluir que cada família passará por esse processo de forma diferente. Porém, podemos falar em algumas formas que podem auxiliar os pais nesse momento:

  • Compreender que o término desse vínculo, por mais doloroso que tenha sido, seja um caminho para garantir a qualidade das relações familiares é talvez o primeiro passo.
  • Dedicar mais tempo e cuidado aos filhos nessa etapa. Os filhos precisam se sentir acolhidos, compreender que o casal separou-se, mas que os pais continuam amando-os incondicionalmente.
  • Dividir com os filhos somente o necessário para que ele compreenda a separação (de acordo com cada faixa etária). Os filhos não precisam saber detalhes dos conflitos do casal e muito menos presenciarem brigas ou conversas que só dizem respeito ao casal.
  • Os pais não devem colocar os filhos um contra o outro. Nunca! Esse é um caminho que levará à conseqüências emocionais dolorosas.
  • Os pais devem continuar igualmente envolvidos e responsáveis pela educação dos filhos. Não importa quem tenha ficado com a guarda dos filhos.
  • O casal precisa colocar os interesses dos filhos acima de seus conflitos. Estar na presença dos filhos não é um direito dos pais, e sim dos filhos. Eles precisam de afeto e cuidados, especialmente em momentos conflituosos como uma separação.
  • Construir um relacionamento saudável entre o ex casal é de suma importância para que possam JUNTOS continuar a trilhar o caminho da educação dos filhos.
  • Procurar ajuda é sempre essencial quando notamos que não estamos conseguindo lidar com nossos conflitos e emoções de uma forma saudável.

É muito doloroso para um filho imaginar que sua família tenha acabado, esse sentimento é infinitamente mais doloroso do que a adaptação e tristeza que a separação irá trazer. A mensagem que precisa ser dita aos filhos é: “AINDA SOMOS UMA FAMÍLIA”, que o casal separou-se Sim, mas nenhum dos dois deixou de ser pai ou mais de seus filhos. O casamento teve uma ruptura, mas isso não significa que a FAMÍLIA tenha se partido, os vínculos formados não se desfazem, os filhos continuarão a fazer parte da vida do casal, de uma forma diferente, mas ainda estarão lá! A Família estará então diante de novos caminhos, de novas possibilidades. Sonhos desfeitos, frustrações, muito a se deixar para traz. Mas sabe, quando terminam-se alguns sonhos, é hora de construir Novos Sonhos, e quem sabe Melhores e Maiores. É Hora de Reconstruir!

O Amor É Sempre Uma Boa Direção

🙂

Léia Faustino
Psicóloga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s